geraldoO ex-deputado Geraldo Simões (foto) traça seus prognósticos ignorando solenemente as deliberações da executiva estadual do PT. Particularmente aquela na qual os caciques do petismo baiano se atribuem o poder de decidir sobre candidaturas e política de alianças nos 35 maiores municípios do estado.

O presidente do PT em Itabuna, Flávio Barreto, critica e nega validade à determinação da executiva estadual. Segundo ele, a competência de definir a política de alianças é do diretório nacional, que deverá se pronunciar sobre a questão em junho próximo.

Há alguns dias, Everaldo Anunciação, presidente estadual do PT, afirmou que o partido apoiará em Itabuna a reeleição do prefeito Claudevane Leite, do PRB. A decisão teria a ver com o apoio dado pelo gestor municipal à campanha do governador Rui Costa.

A tese da retribuição é defensável, mas o que alguns questionam é o poder da executiva estadual de optar por esse caminho. Para Flávio Barreto e Geraldo Simões, as cartas estão na mesa e o presidente do PT da Bahia está blefando.

Related Post