busca por data
junho 2017
D S T Q Q S S
« mai    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
mais buscados

:: ‘Entrevistas’

HOSPITAL COSTA DO CACAU SERÁ INAUGURADO EM JUNHO

Foto: Clodoaldo Ribeiro/Divulgação

Novo hospital será nova referência em alta complexidade no sul da Bahia. Foto: Clodoaldo Ribeiro/Divulgação

O Hospital Regional Costa do Cacau se encontra em fase de revisão final da parte de engenharia e tem previsão de inauguração para o fim do mês de junho. No último sábado (29), o secretário estadual de saúde, Fábio Vilas Boas, visitou as instalações, ao lado do prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, e anunciou que já foram iniciadas as licitações para compra de mobiliário e equipamentos de tecnologia.

“Esta é uma fase complexa do projeto. São centenas de licitações colocadas em prática para o hospital poder funcionar. Estamos diante de um dos mais importantes equipamentos da saúde pública da Bahia, um hospital de alta complexidade, elevado de resolutividade, que vai eliminar o gargalo no atendimento hospitalar de Ilhéus e do sul da Bahia”, afirmou o secretário.

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre Sousa definiu a obra como uma iniciativa histórica e disse estar diante de um modelo só comparável aos dos grandes hospitais do Brasil. “Tudo que foi executado aqui atende aos conceitos de excelência da medicina moderna. É uma obra para salvar vidas e essa grandiosidade vai estar à disposição da nossa gente”, definiu.

EDISON LOBÃO, ALVO DA LAVA JATO, É O NOVO PRESIDENTE DA CCJ NO SENADO

Lobão vai ocupar presidência da CCJ pela segunda vez (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

Lobão vai ocupar presidência da CCJ pela segunda vez (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

O PMDB indicou o senador Edison Lobão (PMDB-MA), um dos investigados pela Operação Lava Jato, para a presidência da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado (CCJ). Por ter a maior bancada, com 21 senadores, o partido tinha a preferência para escolher qual comissão presidir. Nesta quinta-feira (9), Lobão foi eleito por aclamação e vai comandar o colegiado pelos próximos dois anos. Antonio Anastasia (PSDB-MG) será o vice.

O senador já ocupou a presidência da comissão em outra ocasião, no biênio 2002-2003, durante o seu segundo mandato como senador.

Entre as atribuições, a CCJ é responsável por sabatinar os indicados aos cargos de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e de Procurador-geral da República. A sabatina de Alexandre de Moraes, indicado pelo presidente Michel Temer para ocupar a vaga de Teori Zavascki no STF, deverá ocorrer no próximo dia 22.

LAVA JATO

Edison Lobão é alvo de dois inquéritos no STF no âmbito da Operação Lava Jato, que investiga atos de corrupção em contratos da Petrobras. O parlamentar maranhense também é alvo de outras duas investigações derivadas da Lava Jato sobre irregularidades na usina de Belo Monte, no Pará.

EXPOSIÇÃO HOMENAGEIA CENTENÁRIO DA SANTA CASA DE ITABUNA

Ampla programação marca semana do centenário da Santa Casa (Foto: Divulgação)

Ampla programação marca semana do centenário da Santa Casa (Foto: Divulgação)


A exposição fotográfica Santa Casa – 100 anos será aberta nesta segunda-feira (23), às 18 h, no Jequitibá Shopping, marcando o início das comemorações pelo primeiro centenário da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna.

A Mostra, que tem curadoria do jornalista e membro da Irmandade, Ramiro Aquino, reúne 40 imagens e um pouco da história da primeira instituição hospitalar fundada em Itabuna e qual atual fase da instituição.

A Santa Casa de Misericórdia de Itabuna completará no sábado (28) o seu primeiro Centenário. A data será marcada por uma ampla e diversificada programação preparada pela instituição com o apoio de empresários e da sociedade.

PROGRAMAÇÃO

A programa começa com a exposição fotográfica nesta segunda-feira. Na quarta-feira (25), às 16 h, no Hospital Calixto Midlej Filho, ocorre a inauguração da Capela Nossa Senhora das Dores, com Missa celebrada pelo Bispo Dom Ceslau, seguida da reinstalação da galeria em homenagem aos ex-diretores do Hospital.

Na quinta-feira (26), celebração no Hospital São Lucas, às 16 h, e a confraternização dos funcionários, às 19h30, na AABB, com o Protempo – Homenagens a 30 funcionários com mais de 30 anos de casa e em atuação, além de 20 outros ex-funcionários certificados na Homenagem A História dentro da História.

Na sexta-feira (27), também às 16 h, no Hospital Manoel Novaes, haverá a inauguração das obras de requalificação do Centro Cirúrgico, seguida da entrega da Brinquedoteca e Solarium Irmã Creuza Wanderley, pelas Irmãs Auxiliadoras, que aproveitarão a data para inaugurar a sede oficial do grupo. Ainda neste dia, será inaugurada a galeria dos ex-diretores do Hospital Manoel Novaes.

A programação será encerrada no sábado, às 20 h, no Clube AABB, onde haverá a Solenidade de Outorga da Comenda Monsenhor Moysés Gonçalves do Couto, honraria que, desde 2010, homenageia personalidades que contribuem para a consolidação da instituição. Nesse ano, a atual provedoria decidiu pela criação da Medalha Calixto Midlej Filho, que diferente da Comenda, homenageia seguimentos com notória atuação em favor da Santa Casa.

Na mesma noite haverá o Lançamento do novo livro do médico João Otávio Macedo, com o título “Centenário Santa Casa de Misericórdia de Itabuna – Um século de bons serviços”, editado pela A5Editora.

VIVEMOS A MODERNIDADE LÍQUIDA, ONDE NADA É FEITO PARA DURAR, DEFINE ZYGMUNT BAUMAN.

Sociólogo define a perda de referência nos tempos modernos. (Foto: Leonardo Cendamo/AFP)

Sociólogo define a perda de referência nos tempos modernos. (Foto: Leonardo Cendamo/AFP)

As pessoas não sabem como manter laços de longo prazo e muitas vezes se relacionam mais pelo mundo virtual. É o que conclui o sociólogo polonês Zygmunt Bauman. A insegurança das relações nos tempos modernos é um dos temas tratados em entrevista especial concedida ao jornalista Alberto Dines, para o programa Observatório da Imprensa, na TV Brasil.

Autor de 35 livros publicados no Brasil ao longo de 26 anos, Bauman fala sobre filosofia, comunicação e sobretudo humanismo. O polonês se apresenta como sociólogo, mas afirma que parou de escrever há 25 anos para outros sociólogos. O que lhe interessa são os problemas das pessoas comuns e fica feliz ao dizer que com isto eliminou os intermediários.

Ele fala ainda sobre o Google e a avalanche informativa, fazendo uma crítica explícita ao nosso sistema fragmentado de absorção de informações.

“O que aprendi com o Google é que nunca saberei o que eu deveria saber”. Para ele, “o Google tem a maior biblioteca do mundo. Mas não é a maior biblioteca de livros, é a maior biblioteca de trechos, de citações, de partes e pedaços desconectados”.

O programa traz ainda análises do filósofo Renato Janine Ribeiro, do professor Muniz Sodré e do cientista político Renato Lessa, que ajudam a compreender as teorias do pensador.

“QUANTO MAIS SE NEGA A EXISTÊNCIA DO RACISMO, MAIS ELE SE PROPAGA”, DIZ MINISTRA

Nilma GomesAgência Brasil

Casos recentes de preconceito racial, como o de Kaillane Campos, de 11 anos, que levou uma pedrada na cabeça, no Rio de Janeiro, depois de sair de um culto de candomblé, e o dajornalista Maria Júlia Coutinho, a Maju, que recebeu ofensas na internet, mostram que o país da miscigenação ainda não venceu esse tipo de discriminação.

“Quanto mais se nega a existência do racismo no Brasil, mais esse racismo se propaga”, destacou a ministra da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir), Nilma Lino Gomes.

Nos cinco anos do Estatuto da Igualdade Racial, Lei 12.288/2010, lembrados nesta segunda-feira (20), ela conversou com a Agência Brasil e avaliou o cenário da busca pela igualdade racial no país. Para ela, entre os principais avanços estão as cotas em concursos públicos e a política voltada ao atendimento de saúde da população negra.

Agência Brasil: De que forma o racismo se manifesta no Brasil?
Nilma Gomes: O racismo brasileiro tem uma peculiaridade: a ambiguidade. É um fenômeno que se afirma através da sua própria negação. Quanto mais se nega a existência do racismo no Brasil, mais esse racismo se propaga. E essa é uma característica que nos desafia muito a superá-lo e a desvelá-lo. Conhecer e reconhecer essa característica do racismo brasileiro já são avanços, porque antes compreendia-se muito mal o que era o racismo no Brasil.

Agência Brasil: Diante desse cenário, o que o Estatuto da Igualdade Racial representa hoje?
Nilma: O estatuto representa hoje para o Brasil uma conquista e é uma conquista que foi organizada, demandada pelos movimentos sociais, em particular, o movimento negro. Passou por um processo de uma grande discussão no Congresso Nacional, foi ratificado pelo governo federal e efetivamente hoje podemos falar que temos, além da Constituição Federal, uma lei nacional que garante direito à população negra brasileira. :: LEIA MAIS »

PCdoB EM ROTA DE COLISÃO COM JABES RIBEIRO

ENTREVISTA: RODRIGO CARDOSO (PRESIDENTE DO PCdoB/ILHÉUS)

Rodrigo_Cardoso_Ilheus_BA-9-HOMEEm entrevista concedida ao BA24Horas, o presidente do PCdoB de Ilhéus, Rodrigo Cardoso, pinta um quadro tenebroso das relações entre seu partido e o prefeito Jabes Ribeiro (PP). Segundo o dirigente, a gestão é centralizada e os aliados não são ouvidos. Cardoso também afirma que o prefeito erra no relacionamento com o funcionalismo e elegeu os servidores municipais como responsáveis pelos problemas da cidade. Mesmo diante desse cenário, Cardoso avisa que faz críticas pessoais ao governo, já que oficialmente o PCdoB ainda não decidiu se irá romper com a administração.

 

Como está a relação entre o PCdoB e o governo Jabes Ribeiro? O clima é de amor ou ódio? Tapas ou beijos?

Rodrigo Cardoso – No máximo, tolerância. Se ainda não chegaram a tapas, de beijos está muito distante. Jabes não ouve o PCdoB em nenhuma questão sobre os rumos do governo já há muito tempo. Tenta, através das relações estaduais de seu partido, colocar-se como uma liderança sintonizada com o campo progressista, mas mantem na sua gestão o estilo centralizador e conservador que caracterizaram seus mandatos desde a migração para o carlismo, no segundo mandato.

Como assim?

Rodrigo Cardoso – O prefeito não se abre para a sociedade civil e seu governo trata os movimentos sociais com um desdém incompatível com uma gestão moderna. O Sindicato dos Agentes Comunitários lançou recentemente uma nota pública na qual fica claro o quanto essa arrogância acaba tendo reflexos negativos para a população, como é o caso do aumento dos casos de dengue no município, apesar dos seguidos alertas de que as deficiências nas condições de trabalho dos agentes de endemias, além do seu número insuficiente prejudicava o combate ao mosquito transmissor.

O que precisa ser corrigido no governo?

Rodrigo Cardoso – Mesmo com tantas opções que, na minha opinião, são equivocadas, se os serviços públicos funcionassem bem, a população certamente não teria uma avaliação tão negativa do governo. Mas isso não acontece, pois serviços urbanos, saúde, educação, nada funciona bem na avaliação popular. Até o “Aleluia Ilhéus”,provavelmente a única ação do governo com boa aceitação popular, deixou de ser realizado esse ano.

O prefeito tem falhado na relação com os servidores?

Rodrigo Cardoso – Ele simplesmente resolveu eleger os servidores públicos como vilões dos problemas da cidade e tomou a decisão política de responder às básicas reivindicações de revisão salarial do conjunto do funcionalismo e do piso dos professores, ambas determinadas por lei, com ameaças de demissão de servidores efetivos. Ameaças que sabe que não vai cumprir, pois para isso precisaria antes diminuir despesas com cargos comissionados, rescindir os contratos temporários na saúde, assistência social e educação, que utiliza para alimentar a frágil base parlamentar, acabar com a terceirização de setores como o lixo e a operação tapa-buracos, na qual, ao lado da capitalização de programas do governo federal, como o “Minha Casa, Minha Vida”, deposita todas as esperanças de convencer o povo de que merece um quinto mandato.

Jabes tem se negado a conceder um reajuste reivindicado pelos professores. Como você vê essa situação?

Rodrigo Cardoso – Por determinação judicial, ele terá que pagar o reajuste do piso a todo o magistério, mas já tem dito que não fará isso. Não sei em que vai dar.

O PCdoB ainda permanece aliado do governo. Essa aliança vai se desfazer?

O partido ainda está debatendo quais serão os nossos rumos. Ainda não construímos unidade nem pra sair nem pra continuar.

AS PESQUISA E A RUA

souto rui

Apoiadores do candidato do DEM ao Governo da Bahia, Paulo Souto, atacam o instituto de pesquisa Babesp, que aponta forte crescimento do petista Rui Costa nas intenções de voto.

A desqualificação começa pelo apelido dado ao instituto que, por ser ligado ao presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo (PDT), é chamado de “Datanilo”, e passa por investigação em curso no Ministério Público acerca de favorecimentos indevidos concedidos pelo deputado ao representante do Babesp.

Sobre o mérito da pesquisa em si, nenhum ataque direto.

Os petistas, por sua vez, questionam as pesquisas do Ibope, useiro e vezeiro em “equívocos” na Bahia, e utilizam para o instituto a alcunha de “Dataneto”, buscando relacionar o Ibope ao prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM).

O tira-teima ficará para o dia 5 de outubro e até lá o eleitor pode utilizar o parâmetro visual, também conhecido como “olhômetro”. Por esse critério, observando eventos como comícios, caminhadas e carreatas, as atividades de Rui têm muito mais volume que as de Souto.

“OS GAYS NÃO SÃO SEMIDEUSES. A MAIORIA É FRUTO DO CONSUMO DE DROGAS”

bolsonaro

El País

O deputado federal e militar da reserva Jair Bolsonaro (PP) concede uma entrevista atrás da outra. Desde que se autoproclamou candidato à presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, ele entrou no olho do furacão. Os partidos de esquerda veem com receio a possibilidade de repetir um mandato ainda mais polêmico que o do pastor evangélico Marco Feliciano (PSC), mas Bolsonaro cresce diante da adversidade. A cada entrevista, eleva o tom das suas afirmações homofóbicas, elitistas, racistas e incitadoras da violência. Nesta entrevista ao EL PAÍS, ele conta que pretende ser o representante dos direitos humanos no Brasil. Chama a presidenta Dilma Rousseff de terrorista, considera os gays produto do consumo de drogas e defende a cadeira elétrica para os criminosos. As únicas minorias que ele pretende defender são as que ele considera “decentes”: os cadeirantes, autistas e deficientes.

Pergunta: A sua candidatura é só uma medida de pressão para conseguir a Comissão de Minas e Energia?

Resposta: Sim, eu não faço parte desse jogo, mas eu agora estou no jogo. Quando me lancei candidato foi porque havia possibilidade dessa comissão ir para o nosso partido. Eu conversei com vários parlamentares do meu partido e todos concordaram, ninguém quer ir para lá. No meio do caminho, quando a imprensa divulgou que eu seria candidato, o PT resolveu entrar no jogo. Aí meu partido propôs a troca. Mas o PT não quer abrir mão de Minas e Energia e tampouco que eu seja presidente.

P. Para o seu partido a Comissão não importa nada, é só um jogo político?

R. Não é para o meu partido. A Comissão de Direitos Humanos sempre foi uma das últimas a serem escolhidas.

P. E por que foi sempre assim?

R. Porque os parlamentares preferem comissões que são mais importantes para eles como transporte, agricultura, minas e energia, justiça, tributação e finanças… São comissões que dão visibilidade.

P. Bom, nos últimos tempos, a Comissão de Direitos Humanos foi alvo de manchetes diárias…

R. Esteve nas manchetes pela maneira como o presidente [Marco] Feliciano a conduziu. Eu agora quero, caso consiga a comissão, dar uma nova dinâmica para ela.

P. Por que o PT não quer você como presidente?

R. Eles não querem porque, segundo eles, eu não represento os direitos humanos no Brasil.

P. E você concorda?

R. Concordo. A maneira como eles induzem a política de direitos humanos, eu sou completamente contra.

P. O que está errado na maneira de o Governo orientar a política de direitos humanos?

R. Qual é a idade penal na Espanha? Não sei como é a violência por aí por parte de moleques de menos de 18 anos, mas aqui no Brasil praticamente não existe pena. Há uma molecada de 17 anos que são criminosos por esporte. Então se reduzir a idade penal vai sobrar cadeia para eles.

:: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia