WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Flavio Bolsonaro’

FLÁVIO BOLSONARO É INVESTIGADO POR CRIME ELEITORAL RELACIONADO A COMPRA DE IMÓVEIS

Flávio Bolsonaro. Foto: Ricardo Moraes/ Reuters

Estadão Conteúdo

A Procuradoria-geral da República (PGR), em Brasília, recebeu um inquérito da Polícia Federal do Rio de Janeiro que investiga o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) por falsificação de documento público para fins eleitorais. O caso foi revelado pelo O Globo e confirmado ao Estado.

O caso tramitava desde março de 2018 na Procuradoria Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (PRE-RJ) e apurava possível crime eleitoral praticado por Flávio Bolsonaro ao declarar imóveis comprados por meio de “negociações relâmpago” ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com valores supostamente abaixo do real. No inquérito, há ainda a citação de que as negociações teriam resultado em aumento do patrimônio do atual senador. Há no inquérito citação a possível lavagem de dinheiro.

Em novembro de 2018, a PRE-RJ havia encaminhado a investigação para a PF para que fossem cumpridas diligência para apuração dos fatos, entre elas, a oitiva de Flávio Bolsonaro. O prazo estipulado pela Procuradoria à época era de 60 dias para cumprimentos dessas medidas investigatórias. :: LEIA MAIS »

MINISTRO NEGA PEDIDO DE FLÁVIO BOLSONARO E MANTÉM INVESTIGAÇÃO NO RIO

O senador eleito Flávio Bolsonaro e o presidente Jair Bolsonaro. Foto: AFP

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, negou nesta sexta-feira os pedidos do senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, para suspender as investigações sobre os movimentos financeiros atípicos de um de seus ex-assessores e tratar o caso com sigilo.

O caso colocou na defensiva o presidente Bolsonaro, eleito com promessas de travar um combate radical contra a corrupção.

Flávio Bolsonaro e o ex-assessor Fabrício Queiroz têm se limitado até agora nas explicações à imprensa.

O senador esperava evitar ter de comparecer ante os organismos de investigação e que a questão fosse tratada nos tribunais de primeira instância.

Mas Marco Aurélio Mello alegou que o foro privilegiado, reservado a ministros, deputados e senadores federais, não se aplica no caso porque, na época dos fatos, Flávio Bolsonaro atuava como deputado estadual.

:: LEIA MAIS »

“SE FLÁVIO ERROU, ELE TERÁ QUE PAGAR”, DIZ BOLSONARO

Foto: Adriano Machado/Reuters

Estadão

O presidente Jair Bolsonaro diz que lamentará, como pai, se as suspeitas sobre o filho Flávio Bolsonaro forem confirmadas. Ele disse que, caso isso aconteça, o senador eleito pelo PSL-RJ deve ser punido e chamou as acusações de “ações inaceitáveis”.

“Se por acaso Flávio errou e isso ficar provado, eu lamento como pai. Se Flávio errou, ele terá de pagar preço por essas ações que não podemos aceitar”, disse o presidente à Bloomberg em Davos, na Suíça, durante o Fórum Econômico Mundial.

Os desdobramentos de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sobre as do ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL), Fabrício Queiroz, e de outros assessores da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), continuam ganhando novos capítulos. Agora ele será investigado pela Receita Federal.

O relatório do Coaf mostrou que Flávio recebeu em sua conta depósitos fracionados no valor de R$ 2 mil cada no total de R$ 96 mil, além do pagamento de título da Caixa de R$ 1 milhão. Os dois casos estariam relacionados à compra de imóveis. Flávio disse em entrevista que recebeu R$ 96 mil em dinheiro vivo. A Receita tem como investigar se essa explicação é coerente com os fatos cruzando os dados dele e do vendedor.

:: LEIA MAIS »

FUX SUSPENDE INVESTIGAÇÃO SOBRE QUEIROZ A PEDIDO DE FLÁVIO BOLSONARO

Senador eleito pelo Rio, Flávio Bolsonaro. Foto: Tânia Rego

Estadão

O Ministério Público do Rio informou que uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou, a suspensão do procedimento investigatório criminal que apura movimentações financeiras atípicas do ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL), Fabrício Queiroz, e de outros assessores da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). O pedido foi feito pela defesa de Flávio, filho do presidente Jair Bolsonaro.

A decisão determina que o processo fique suspenso até que o relator da Reclamação, ministro Marco Aurélio Mello, se pronuncie. A determinação de suspender a investigação foi feita pelo ministro Luiz Fux. O Ministério Público não informou o que motivou a decisão cautelar proferida nos autos da Reclamação de nº 32989. “Pelo fato do procedimento tramitar sob absoluto sigilo, reiterado na decisão do STF, o MPRJ não se manifestará sobre o mérito da decisão”, informou o órgão, por meio de nota.

O entendimento do Supremo sobre o alcance do foro privilegiado pesou na decisão de Fux de suspender o procedimento investigatório criminal que apura movimentações financeiras atípicas de Queiroz. A suspensão foi determinada na quarta-feira (16) mesmo dia em que o pedido foi protocolado na Corte. Fux está exercendo interinamente a presidência da Corte por conta das férias do ministro Dias Toffoli e é responsável pelo plantão durante o período de recesso judiciário. :: LEIA MAIS »

Sorry. No data so far.




maio 2019
D S T Q Q S S
« fev    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia