WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘PF’

PF FAZ BUSCAS EM GABINETE DE DEPUTADO LÚCIO VIEIRA LIMA NA CÂMARA

Foto: Arquivo

Reuters

A Polícia Federal realiza buscas na manhã desta segunda-feira no gabinete do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) na Câmara como parte das investigações relativas à descoberta de 51 milhões de reais em espécie em um apartamento de Salvador atribuídos ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, irmão do parlamentar, segundo a TV Globo.

Além das buscas na Câmara, a PF também cumpre mandados no apartamento residencial do deputado em Brasília e em mais dois endereços ligados ao parlamentar em Salvador, acrescentou a Globo.

Procurada, a Polícia Federal não respondeu de imediato.

No mês passado, a Justiça Federal do Distrito Federal enviou ao Supremo Tribunal Federal investigações relativas às operações que envolvem Geddel por suspeitas de que seu irmão, que possui foro privilegiado, possa estar envolvido no crime de lavagem de dinheiro.

De acordo com a Justiça Federal do DF, a operação que encontrou os 51 milhões de reais atribuídos a Geddel em um apartamento em Salvador esbarrou em indícios de que Lúcio também pode ter participado do crime de lavagem de dinheiro.

Assessor de Lúcio

De acordo com o G1, além das residências e do gabinete de Lúcio Vieira Lima, outro alvo dos mandados judiciais desta segunda é Job Ribeiro Brandão, secretário parlamentar lotado no gabinete do deputado do PMDB. Vinculado à Câmara desde 2010, Brandão tem salário de R$ 14,3 mil, segundo informações do Portal de Transparência da casa legislativa.

Job Ribeiro Brandão se tornou alvo da Polícia Federal porque os investigadores encontraram digitais dele no apartamento em que estavam escondidos os R$ 51 milhões e até em parte do dinheiro.

OURO ESCONDIDO POR NUZMAN NA SUÍÇA DARIA PARA PRODUZIR MEDALHAS ATÉ OS JOGOS DE 2028

Carlos Arthur Nuzman na chegada à sede da Polícia Federal, nesta quinta-feira (5). Foto: Gabriel Paiva

O Globo

Nesta quinta-feira (5), na operação que culminou a prisão temporária de Carlos Arthur Nuzman, presidente do COB, foram descobertas 16 barras de ouro, de 1kg cada, depositadas na Suíça, que, juntas, têm o valor aproximado de R$ 2 milhões.

Tais barras seriam o suficiente para produzir todas as medalhas douradas dos Jogos Olímpicos até 2028. E também poderiam ser produzidas mais de 2.600 medalhas de ouro.

“Enquanto os medalhistas olímpicos sonhavam com as medalhas de ouro, os dirigentes guardavam o ouro na Suíça”, disse Fabiana Schneider, procuradora da República, em coletiva nesta quinta-feira. :: LEIA MAIS »

MARCELO NILO É ALVO DE OPERAÇÃO DA PF QUE INVESTIGA CRIME DE FALSIDADE ELEITORAL

Ex-presidente da ALBA, Marcelo Nilo é principal alvo da Operação Opinião. Foto: Wilker Porto

A Polícia Federal e o Ministério Público Eleitoral deflagraram nesta quarta-feira (13) a Operação Opinião, com o objetivo de investigar a prática de crime de falsidade eleitoral envolvendo a empresa Bahia Pesquisa e Estatística LTDA – Babesp, que pertence ao deputado estadual e ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Marcelo Nilo.

Estão sendo cumpridos 7 mandados de busca e apreensão em endereços em Salvador, dentre eles a residência e gabinete de Marcelo Nilo, bem como endereços de seu genro e do sócio da Babesp. Os policiais estiveram também na sede de uma empresa de comunicação e na Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz), no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

Por meio de nota, a Sefaz informou que não é alvo da operação e que os mandados foram direcionados a um técnico administrativo do quadro efetivo da secretaria. “O servidor é lotado na área administrativa e não exerce nenhum cargo de confiança, direção ou assessoramento na Secretaria. A orientação da Sefaz é a de colaborar com as investigações, acompanhar os seus desdobramentos e, caso necessário, tomar as providências cabíveis”.

Os mandados foram expedidos pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE/BA), com base em representação formulada pela Procuradoria Regional Eleitoral na Bahia (PRE/BA). :: LEIA MAIS »

PF FAZ BUSCAS NA CASA DE MARCELO MILLER E EXECUTIVOS DA J&F, DIZ JORNAL

Ex-procurador Marcelo Miller na sexta-feira (8), no Rio. Foto: Fabio Motta/Estadão

A Polícia Federal faz buscas nesta segunda-feira (11), na casa do ex-procurador da República Marcelo Miller na Lagoa, no Rio. Ele é suspeito de fazer jogo duplo em favor da J&F. As informações são do Estadão.

Agentes cumprem quatro mandados de busca também em São Paulo. Dois alvos são as casas dos empresários Joesley Batista e de Ricardo Saud. Outro é a sede da J&F. O quarto é a casa do advogado Francisco Assis, delator da JBS.

Marcelo Miller teve a prisão requerida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A custódia foi negada pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal.

Fachin ordenou a prisão dos empresários Joesley Batista e Ricardo Saud, da J&F, por violação do acordo de colaboração premiada. Os dois se entregaram na sede da Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo, no domingo, 10.

Saud foi o primeiro a chegar. Por volta de 14h, Joesley, que partiu da casa do seu pai, nos Jardins, chegou. Ambos chegaram à PF em carros particulares.

GEDDEL É CONDUZIDO PELA PF APÓS PEDIDO DE PRISÃO PREVENTIVA DO MPF

Geddel deixa prédio em viatura da PF. Foto: Reprodução/TV Bahia

A Tarde

O ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) foi levado por policiais federais do apartamento no condomínio Pedra do Valle, que fica na rua Plínio Moscoso, no Jardim Apipema, em Salvador, onde mora. A condução do político baiano acontece após o pedido de prisão preventiva do Ministério Público Federal (MPF). A ação é coordenada pela superintendência da PF em Brasília.

O peemedebista saiu do edifício sentado no banco traseiro de uma viatura logo depois de agentes chegarem em seu imóvel. Ele foi levado para uma área do Aeroporto Internacional de Salvador. De lá, Geddel deve será levado para Brasília. Ainda não há informações se ele deve conduzido para o Complexo Penitenciário da Papuda, onde já esteve preso, ou para sede da PF.

Pessoas que estavam na rua comemoraram a ação da Polícia Federal, na manhã desta sexta: “Vai para a Papuda”. Um vendedor ambulante, que estava na rua, foi convidado a acompanhar o trabalho da PF.

Alguns agentes continuaram no prédio. A PF realiza a ação após a apreensão de R$ 51 milhões em um apartamento que seria ligado a Geddel.

De acordo com a PF, foram encontradas digitais do ex-ministro nas caixas e malas que guardavam a fortuna dentro do imóvel.

:: LEIA MAIS »

PORTO SEGURO: PF COMBATE FRAUDE NO SERVIÇO DE TRANSPORTE ESCOLAR

Transporte escolar sucateado em Porto Seguro. Foto: Reprodução/Youtube

A Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Controladoria-Geral da União deflagram nesta terça-feira (2), em Porto Seguro, a Operação Gênesis, que visa desarticular organização criminosa responsável por fraudes em licitação e desvio de recursos públicos destinados à contratação de serviço de transporte escolar no município.

Cerca de 100 policiais federais e 5 servidores da Controladoria-Geral da União cumprem 5 mandados de prisão temporária, 15 de busca e apreensão e 37 de condução coercitiva nos municípios de Guaraciaba, Manhuaçu e Viçosa, em Minas Gerais, e Eunápolis, Itabela, Porto Seguro e Salvador.

As investigações iniciaram há cerca de dois anos e permitiram constatar, primeiramente, o direcionamento da licitação para favorecer uma empresa integrante do esquema criminoso. Esta empresa, depois, era beneficiada com sucessivos vultosos aditivos ao contrato firmado com a Prefeitura, facilitados pela inclusão de novas rotas originalmente não previstas, que eram aprovadas por servidor público municipal também participante da fraude. Parte do dinheiro destinado ao pagamento do contrato era desviado, retornando em benefício desse servidor e de outros investigados. :: LEIA MAIS »

POLÍCIA FEDERAL INVESTIGA VAZAMENTO DE INFORMAÇÕES SOB SIGILO NO TJ-BA

Tribunal é alvo de investigação. Foto: Divulgação

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (7) a Operação Vortigern, com o objetivo de investigar o vazamento de informações sob sigilo no Tribunal de Justiça da Bahia. Por determinação do Ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça, estão sendo cumpridos 3 mandados de busca e apreensão e 4 conduções coercitivas. Todas as medidas acontecem na região metropolitana de Salvador.

Por se tratar de um inquérito judicial, a Polícia Federal não irá detalhar o caso.

O nome da Operação é uma referência a Vortigern e Rowena, um texto dramatúrgico apócrifo falsamente atribuído a William Shakespeare

GEDDEL VIEIRA LIMA É PRESO PREVENTIVAMENTE PELA PF

Geddel Vieira, ex-ministro do governo Temer é preso por obstrução de justiça. Foto: Ueslei Marcelino / Reuters

O ex-ministro Geddel Vieira Lima foi preso, nesta segunda-feira (3) pela polícia federal, como parte da força-tarefa Greenfield, responsável pelas operações Cui Bono e Sépsis. A prisão é de caráter preventivo e tem como fundamento elementos reunidos a partir de informações fornecidas em depoimentos recentes do doleiro Lúcio Bolonha Funaro, do empresário Joesley Batista e do diretor jurídico do grupo J&F, Francisco de Assis e Silva – sendo os dois últimos em acordo de colaboração premiada.

De acordo com o Ministério Público Federal, no pedido enviado à Justiça, os autores afirmaram que o político tem agido para atrapalhar as investigações. “O objetivo de Geddel seria evitar que o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e o próprio Lúcio Funaro firmem acordo de colaboração com o Ministério Público Federal (MPF). Para isso, tem atuado no sentido de assegurar que ambos recebam vantagens indevidas, além de ‘monitorar’ o comportamento do doleiro para constrangê-lo a não fechar o acordo”.

Na petição apresentada à Justiça, foram citadas mensagens enviadas recentemente (entre os meses de maio e junho) por Geddel à esposa de Lúcio Funaro. Para provar tanto a existência desses contatos quanto a afirmação de que a iniciativa partiu do político, Funaro entregou à polícia cópias de diversas telas do aplicativo. Nas mensagens, o ex-ministro, identificado pelo codinome “carainho”, sonda a mulher do doleiro sobre a disposição dele em se tornar um colaborador do MPF. Para os investigadores, os novos elementos deixam claro que Geddel continua agindo para obstruir a apuração dos crimes e ainda reforçam o perfil de alguém que reitera na prática criminosa. Por isso eles pediram a prisão “como medida cautelar de proteção da ordem pública e da ordem econômica contra novos crimes em série que possam ser executados pelo investigado”. :: LEIA MAIS »

TEMER DÁ POSSE A NOVO MINISTRO, QUE RESPONDE A POLÊMICA SOBRE LAVA JATO E PF

Temer dá posse ao ministro da Justiça, Torquato Jardim. Foto: Marcos Corrêa/PR

Temer dá posse ao ministro da Justiça, Torquato Jardim. Foto: Marcos Corrêa/PR

Empossado nesta quarta-feira (31) para comandar o Ministério da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim é, na avaliação do presidente Temer, “seguidor fiel da Constituição Federal e dono de um perfil técnico, que ajudará a trazer novas ideias para o governo federal”. No domingo, o jurista foi indicado para assumir a pasta no lugar de Osmar Serraglio.

Antes de ocupar a vaga no Ministério da Justiça e Segurança Pública, Jardim comandava o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União. Com mudança, o presidente da República ressaltou que a pasta ocupa uma posição central entre as instituições brasileiras.

“O Ministério da Justiça, que dedica-se a um amplo espectro de temas, todos de interesse do direito e da sociedade, da defesa do consumidor à política contra às drogas (…) da proteção às sociedades indígenas, ao acolhimento de refugiados”, disse o presidente. Ele ainda lembrou que a pasta lançou medidas como o Plano Nacional de Segurança para combater a criminalidade.

Lava Jato e PF

O novo ministro comentou as polêmicas envolvendo a sua ida para o Ministério da Justiça. As declarações sobre a Lava Jato e a possibilidade de mudanças na PF, por exemplo, foram inicialmente expostas por ele.

“O Brasil é institucional. Seja quem for na Operação Lava Jato, na Polícia Federal, no Ministério Público Federal, na Justiça Federal, a investigação continuará. Ela não depende de pessoas. Ela é institucional. O fato de o diretor-geral estar há muito tempo no cargo não é fator relevante na avaliação que vamos juntos fazer. Vou conversar com todos”, disse o ministro, referindo-se à associações de carreira da corporação”

NOVO MINISTRO DA JUSTIÇA ADMITE A JORNAL MEXER NO COMANDO DA PF E DIZ QUE CRISE NÃO É POLÍTICA

Novo ministro da Justiça, Torquato Jardim, durante coletiva de imprensa no Palácio do Planalto em Brasília. Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino

Novo ministro da Justiça, Torquato Jardim, durante coletiva de imprensa no Palácio do Planalto em Brasília. Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino

Reuters

O novo ministro da Justiça, Torquato Jardim, disse em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo publicada nesta segunda-feira que vai ouvir a recomendação do presidente Michel Temer e avaliar mexer no comando da Polícia Federal, e afirmou que não há crise política no país.

Torquato, que comandava o Ministério da Transparência, foi nomeado no domingo para substituir Osmar Serraglio na Justiça, movimento que pode ter como objetivo fortalecer a posição do presidente no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) às vésperas do início do julgamento que pode cassá-lo.

Perguntado na entrevista se pretende mexer no comando da Polícia Federal, que tem Temer e diversas autoridades do governo entre os alvos de investigação da operação Lava Jato, o novo ministro disse que vai avaliar eventual mudança.

“Vou ouvir a recomendação do presidente, de outras personalidades que conhecem o assunto, fazer o meu próprio juízo de valor e decidir. Não vou me precipitar nem antecipar nada”, afirmou. :: LEIA MAIS »

PF REALIZA NOVA FASE DA LAVA JATO E MIRA ADVOGADO LIGADO A RENAN CALHEIROS

Estadão

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (28) operação que mira políticos que estão sob investigação no Supremo Tribunal Federal. A Operação foi solicitada pela Procuradoria-Geral da Republica (PGR) e autorizada pelo ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF).

A ação de hoje cumpre apenas mandados de busca e apreensão. Um dos alvos de busca é o advogado Bruno Mendes, que seria ligado ao senador Renan Calheiros (PMDB). Mendes já ocupou o cargo de assessor parlamentar de Calheiros.

A investigação que deu origem à operação utilizou informações da delação de Sérgio Machado. Bruno Mendes foi gravado em uma das conversas do ex-presidente da Transpetro entregues à Lava Jato.

A operação é um desdobramento da Satélites, deflagrada pela PF em 21 de março tendo como alvo pessoas ligadas aos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL), Humberto Costa (PT-PE), Eunício Oliveira (PMDB-CE) e Valdir Raupp (PMDB-RO).

À época, em nota, a PF informou a Satélites foi a primeira vez em que se utilizou informações dos acordos de colaboração premiada firmados com executivos e ex-executivos da Odebrecht. Os acordos foram homologados pelo STF máxima em janeiro deste ano.

PF CONDUZ EX-PREFEITO DE ITABELA E EMPRESÁRIOS ENVOLVIDOS EM DESVIOS NA EDUCAÇÃO

Foto: Reprodução / Giro de Notícias

Foto: Reprodução / Giro de Notícias

O ex-prefeito de Itabela, na Costa do Descobrimento, Osvaldo Gomes Caribé, e mais os proprietários de duas empresas envolvidas na Operação Harpócrates, desencadeada pela Polícia Federal, foram conduzidos coercitivamente na manhã desta terça-feira (25) para prestar depoimentos.

Segundo o delegado Carlos Cristiano Tenório Urubá, as empresas, identificadas como Aliança Pinturas e Reformas Ltda e STC Santana Construções Ltda, estavam envolvidas no suposto esquema que desviou cerca de R$ 1 milhão via Fundeb [programa federal para a educação básica].

O dinheiro deveria ser usado na construção de uma creche-escola em Itabela. Além dos mandados de condução coercitiva (seis no total), foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão, o que incluiu visita à casa de Osvaldo Gomes Caribé e às empresas listadas. O nome da operação, Harpócrates, faz alusão ao deus grego protetor das crianças.

Com informações do Bahia Notícias.

OPERAÇÃO CONJUNTA APREENDE CERCA DE 1,5T DE MACONHA EM CONQUISTA

Foto: Divulgação SSP

Foto: Divulgação SSP

Uma operação conjunta entre a Força-Tarefa da Secretaria da Segurança Pública e as polícias Federal e Militar, através das Companhias Independentes Cacaueira e Sudoeste, apreenderam na tarde desta quinta-feira (6), em Vitória da Conquista, cerca de 1,5 tonelada de maconha. A droga seria distribuída em Itabuna e região e é avaliada em aproximadamente R$ 1,3 milhão.

Após perseguição, as equipes conseguiram interceptar o veículo Ford Ranger branco, de placa PJL-1796, que além da droga, também transportava uma arma longa calibre 12 e munições. Outros dois carros, um Astra e um Jetta, que faziam a escolta do material, conseguiram escapar do cerco. A procedência do material será investigada.

Moacy de Jesus Oliveira, Elton Silva Costa e Lucas Oliveira São Paio estavam na Ranger e foram presos em flagrante e estão sendo autuados na Delegacia da Polícia Federal em Conquista. As buscas pelos demais integrantes da quadrilha continuam.

“Esta é a terceira grande apreensão das policias só nos últimos 15 dias. Ações como esta ajudam a desestruturar as quadrilhas de tráfico de drogas, que financiam outros tipos de crimes”, destacou o secretário da SSP, Maurício Barbosa, lembrando das operações ocorridas em Cafarnaum, onde um roça com aproximadamente 10 toneladas foi erradicada, e na zona rural de Lençóis, onde cinco mil pés foram destruídos na tarde de ontem.

BLOGUEIRO QUE ANTECIPOU NOTÍCIAS SOBRE LULA É LEVADO PARA DEPOR NA PF

Foto: Portal Vermelho

Foto: Portal Vermelho

Agência Brasil

O blogueiro Eduardo Guimarães, responsável pelo Blog da Cidadania, foi conduzido coercitivamente hoje (21) para depor na Superintendência da Polícia Federal (PF) em São Paulo. Segundo a PF, o jornalista foi levado para prestar declarações como parte de um inquérito aberto no Paraná. Não foram fornecidos, no entanto, detalhes sobre a investigação. A Justiça do Paraná também não informou a motivação e a autoria do pedido.

Guimarães afirma que foi questionado a respeito do vazamento de informações da operação em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi levado para depor, também sob condução coercitiva, em 4 de março de 2016. Dias antes, em 28 de fevereiro, o blogueiro havia antecipado a ação, informando que o sigilo bancário de Lula e de familiares dele havia sido quebrado e que o ex-presidente sofreria busca e apreensão nos imóveis de sua família.

Por meio das redes sociais, Guimarães protestou contra a ação de hoje. “É lamentável viver em um país em que a liberdade de imprensa está sendo pisoteada. E em que pessoas comprometidas com a informação e com a democracia sejam submetidas a todo tipo de constrangimento, por via da lei”, disse em sua página no Facebook. O blogueiro diz ainda que foram apreendidos pelos policiais dois celulares, o seu e de sua mulher, um computador e um pendrive.

Na ocasião, Lula foi levado do seu apartamento, em São Bernardo do Campo, para prestar depoimento no escritório da Polícia Federal no Aeroporto de Congonhas, zona sul da capital paulista. Como parte da 24ª fase da Operação Lava Jato, também foram expedidos mandados de busca em diversos endereços do ex-presidente, acusado de receber vantagens indevidas de empreiteiras investigadas na operação policial.

EMPRESAS “MAQUIAVAM” CARNE VENCIDA E SUBORNAVAM FISCAIS DE MINISTÉRIO, DIZ PF

Esquema descoberto pela PF envolvia os principais frigoríficos. Fonte: Reprodução

Esquema descoberto pela PF envolvia os principais frigoríficos do país. Foto: Reprodução

Agência Brasil

Ao longo das investigações que culminaram na Operação Carne Fraca, deflagrada hoje (17) de manhã, a Polícia Federal (PF) descobriu que os frigoríficos envolvidos no esquema criminoso “maquiavam” carnes vencidas com ácido ascórbico e as reembalavam para conseguir vendê-las. As empresas, então, subornavam fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para que autorizassem a comercialização do produto sem a devida fiscalização. A carne imprópria para consumo era destinada tanto ao mercado interno quanto à exportação.

“Tudo isso nos mostra que o que interessa a esses grupos corporativos na área alimentícia é, realmente, um mercado independente da saúde pública, independente da coletividade, da quantidade de doenças e da quantidade de situações prejudiciais que isso [a prática criminosa] causa”, afirmou o delegado federal Maurício Moscardi Grillo, em entrevista coletiva no fim da manhã, na sede da PF em Curitiba. Também participaram da coletiva o superintendente da corporação, Rosalvo Ferreira Franco, o delegado Igor Romário de Paula e o auditor da Receita Federal Roberto Leonel de Oliveira Lima.

Algumas das maiores empresas do ramo alimentício do país estão na mira da operação, entre as quais a JBS, dona de marcas como Big Frango e Seara, e a BRF, detentora das marcas Sadia e Perdigão. A Justiça Federal no Paraná (JFPR) determinou o bloqueio de R$ 1 bilhão das empresas investigadas, que também são alvo de parte dos mandados de prisão preventiva, condução coercitiva e busca e apreensão expedidos pela 14ª Vara Federal de Curitiba. :: LEIA MAIS »




novembro 2018
D S T Q Q S S
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia