WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘violência’

SALVADOR É A SEGUNDA CAPITAL MAIS VIOLENTA

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Foto: Arquivo/Agência Brasil

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgou hoje (30) o 9º Anuário Brasileiro de Segurança Pública. O levantamento mostra que 43 pessoas morrem por dia vítimas de violência nas capitais brasileiras. Salvador é a segunda capital em números absolutos homicídios.

Na capital baiana foram registradas 1.397 mortes, o que significa uma taxa de 48,1 assassinatos por 100 mil habitantes. Em 2013, a cidade teve 1.485 crimes e taxa de 51,5 por 100 mil habitantes.

A maior quantidade de assassinatos em 2014 foi em Fortaleza, com 1.989 casos – queda de 1% em relação a 2013, quando o número alcançou 1.993. A cidade também registra a maior taxa de mortes intencionais por 100 mil habitantes – 73,3.

Em 2014, crimes como homicídio doloso, latrocínio e lesão corporal seguida de morte vitimaram 15.932 pessoas nas 27 capitais. O número é ligeiramente maior (0,8%) do que os 15.804 registrados em 2013.

Informações da Agência Brasil

PORTO SEGURO: MULHER É MORTA PELA PRIMA EM SUA FESTA DE ANIVERSÁRIO

Uma discussão por causa do volume alto de um som terminou em morte, na madrugada deste domingo (20), na cidade de Porto Seguro.

Jociane Santos de Souza comemorava o aniversário de 27 anos com um grupo de amigos em sua casa na Rua Pedro Teles, no bairro Cambolo.

Uma vizinha, que já estava dormindo, ficou incomodada com o barulho, pois já eram quase 2h da madrugada e foi até o local reclamar.

Após uma discussão com a dona da festa, que era sua prima, Patrícia Fernandes dos Santos, de 24 anos, quebrou uma garrafa e desferiu golpes contra ela.
Segundo a polícia, populares ainda levaram Jociane para o Hospital Luís Eduardo Magalhães, mas ela não resistiu aos ferimentos.

O delegado Valfredo Neto informou ao Radar 64 que Patrícia Fernandes foi autuada em flagrante por homicídio. Ela já foi transferida para o presídio feminino de Teixeira de Freitas.

NOITE DE FERIADO COM PRISÕES E TROCA DE TIROS EM ITABUNA

A noite de segunda-feira (7) foi agitada na cidade de Itabuna, com duas diligências graves em pontos distintos da cidade. No bairro Novo São Caetano, Gleidson Gonçalves de Oliveira, 23 anos foi preso por uma guarnição da polícia militar, acusado de roubar uma moto na localidade. Com ele a polícia encontrou um revólver calibre 32 com cinco cartuchos. Um comparsa de Geidson entrou em luta corporal com um policial e também foi preso. A moto roubada foi recuperada.

No mesmo instante, em outro ponto da cidade, um homem identificado como Adalberto J. Santos, foi baleado em confronto com a polícia após atirar contra uma guarnição. Segundo informações, Adalberto roubou uma bicicleta na Rua São Francisco, no bairro de Fátima, e ao se deparar com a guarnição atirou contra os policiais que revidou e baleou o elemento com um tiro no ombro direito. Adalberto foi socorrido pela equipe do Samu e pela própria polícia para o Hospital de Base.

MENOR É ASSASSINADO NO BAIRRO NOVO HORIZONTE

Um menor de 14 anos, identificado como Leandro Jesus Silva foi assassinado na tarde desta quarta-feira (2) no bairro Novo Horizonte, em Itabuna. De acordo com familiares, o adolescente trabalhava em uma serraria e chegava em casa quando foi alvejado por um disparo de arma de fogo.

Leandro foi atingido com um tiro na região do tórax, foi socorrido por um veículo táxi até o Hospital de Base, mas não resistiu aos ferimentos indo à óbito.

OS 25 ANOS DO ECA E O ANTIPRESENTE DOS “REDUCIONISTAS”

HC_PsolNacHilton Coelho

Hoje (13) o ECA faz 25 anos. O Estatuto, que nasceu como o instrumento legal que mais anunciou a esperança de dias melhores para um Brasil tão injusto e desigual, deveria neste momento ser reforçado com um balanço – sem ufanismos, mas vigoroso – de onde chegamos e sobretudo, como avançaremos na afirmação dos direitos humanos das crianças e adolescentes do país. Mas ao “nascer o Sol do 2 de Julho”, para muitas pessoas, ao inverso dos versos do Hino, ele pareceu brilhar bem menos “que no primeiro”. É que neste dia, os que não acompanharam a votação, acordaram com a notícia de que os “reducionistas” – como a partir de agora definiremos os que no Congresso Nacional defendem a redução da maioridade penal – haviam dedicado um enorme anti-presente aos 25 anos do ECA: aprovaram – ainda que não definitivamente – a diminuição da maioridade penal.

Uma proposta cujos principais argumentos de defesa – também marcadamente “reducionistas” – não resistem a um breve debate. Bastante “alavancados” principalmente pela imprensa sensacionalista, os “reducionistas” dizem que os adolescentes têm uma grande responsabilidade pelo quadro de homicídios no Brasil, cujos dados se assemelham a países em situação de guerra. Porém omitem que as estatísticas provam que menos de 1% das agressões contra a vida, são praticadas por adolescentes. Argumentam que a solução seria a retirada destes adolescentes do convívio social, como se estes atualmente não passassem pela privação de liberdade. Já vivem tal privação nas instituições de internação. A diferença é que, apesar de toda precariedade das mesmas, apenas 20% dos que por elas passam, voltam a praticar novos atos infracionais, enquanto cerca de 70% dos que vão para as penitenciárias e presídios – maiores de 18 anos – realizam outros crimes ao saírem deles. Dizem que a maioria dos países do mundo adota uma idade penal menor que a do Brasil. Outra inverdade, dados da ONU mostram que mais de 80% do mundo pesquisado adota a maior idade acima dos 18 anos e muitos países que experimentaram reduzir, em função dos resultados inversos aos esperados, elevaram novamente.

:: LEIA MAIS »

CPI DEBATE VIOLÊNCIA CONTRA JOVENS NEGROS E POBRES

audiencia cpiConsiderada como uma das cidades mais violentas do país, de acordo com o Mapa da Violência 2014, Itabuna sediou nesta sexta-feira (15) uma audiência da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga as causas e consequências de tais crimes. O encontro, requerido pelo deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB), reuniu, no plenário da Câmara de Vereadores, autoridades, representantes de movimentos sociais e famílias de vítimas.

Entre os participantes, estava o prefeito Claudevane Leite, que listou projetos realizados por sua gestão na área social, a exemplo do “Bom de Bola, Bom na Escola”, com o objetivo de promover a inserção social dos jovens. As ações, no entanto, não têm sido suficientes para conter o avanço da criminalidade e o crescimento do número de adolescentes em conflito com a lei.

De acordo com o juiz Marcos Bandeira, da Vara da Infância e Adolescência, a maior parte das infrações registradas na cidade é cometida por jovens de 15 a 17 anos. O magistrado criticou a fragilidade das políticas públicas no campo social e a inexistência de uma unidade de ressocialização de menores em Itabuna. Em uma ação judicial, Bandeira condenou o Estado a construir um centro desse tipo na cidade.

Outro participante do debate, o bispo diocesano de Itabuna Dom Ceslau Stanula, polonês e há 45 anos no Brasil, apontou a falta de investimento em educação pública de qualidade como o principal fator associado à violência contra jovens pobres e negros. “Em todo esse tempo que vivo no Brasil, jamais vi a educação ser tratada como uma prioridade”, observou o religioso. :: LEIA MAIS »

DEPUTADO SUGERE DESCENTRALIZAÇÃO DO PACTO PELA VIDA

AUGUSTO3Os altos índices da criminalidade em diversos municípios baianos, confirmados pelo Mapa da Violência de 2014, levou o deputado estadual Augusto Castro, líder do bloco PSDB/PRB/PSC na Assembleia Legislativa, a sugerir ao governo uma nova forma de atuação do Pacto pela Vida. O programa faz uma abordagem intersetorial da segurança pública, com o envolvimento de vários órgãos do governo e participação da sociedade.

Por meio de indicação encaminhada ao governador Rui Costa, Augusto Castro propõe que as reuniões do Pacto pela Vida se tornem itinerantes e ocorram inicialmente nos cinco Territórios de Identidade onde estão situadas as cidades mais violentas do Estado da Bahia. Além disso, o deputado sugere que os encontros passem a ter o permanente acompanhamento da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia.

Na proposição dirigida ao governo, o deputado salienta que, “de acordo com o Mapa da Violência (2014), a Bahia possui oito cidades entre as 20 cidades com a maior taxa de homicídios do país”. Na lista, encontram-se municípios como Mata de São João, considerado o segundo mais violento do país, com taxa de homicídios de 149,3 por 100 mil habitantes, e Itabuna, que ocupa o posto de 12ª cidade mais violenta do Brasil, com taxa de 109,3 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes.

“Como se trata de uma política de segurança construída de forma pactuada, o Pacto pela Vida será mais efetivo se as discussões acontecerem nos locais onde a gestão da segurança pública precisa se tornar mais presente”, defende Augusto Castro. Os dados do Mapa da Violência também indicam que a criminalidade tem avançado nas cidades do interior.

DEPUTADOS VÊM A ITABUNA E SALVADOR PARA DISCUTIR VIOLÊNCIA CONTRA JOVENS

violencia2A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara dos Deputados que investiga a violência contra jovens negros e pobres realiza audiências em Itabuna e Salvador na próxima semana. Na capital, o assunto será tratado pelos parlamentares nesta segunda-feira, 11, das 9 às 13 horas, na Assembleia Legislativa.  Já no próximo dia 15, às 15 h, a CPI estará na Câmara Municipal de Itabuna. A informação é do deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB/BA), que fará parte da comitiva, também integrada pelos deputados Reginaldo Lopes (PT/MG), Rosângela Gomes (PRB/RJ), João Carlos Bacelar (PTN/BA) e Bebeto (PSB/BA).

Os índices da violência na Bahia triplicaram nas últimas duas décadas e Salvador é hoje a quinta capital mais violenta do Brasil. Dos vinte municípios mais violentos do país, nove são baianos: Mata de São João, Simões Filho, Lauro de Freitas, Porto Seguro, Eunápolis, Itabuna, Ilhéus, Teixeira Freitas e Valença.

Os dados do Mapa da Violência-2014, do sociólogo e coordenador da Área de Estudos da Violência da Faculdade Latino-Americana de Ciências, Julio Jacobo Waiselfisz, revelam uma situação de guerra. A cada ano, morrem 60 mil pessoas vítimas de homicídios, a maioria delas jovens e negros.

Em 2012, o Brasil teve 56.337 vítimas. Destes, 30.072 eram jovens entre 15 a 29 anos. Neste universo, 93% são do sexo masculino, 77% são negros e pobres.  No mesmo ano, nos 40 conflitos armados no mundo, morreram 37.992 pessoas, somando os mortos de guerra no Oriente Médio, passando pela África até o Cáucaso.

De acordo com o estudo Mapa da Violência-2014, os motivos desse absurdo incremento de mortes são três: a sensação de impunidade, a cultura da violência e a segurança institucional.  “São nestes três aspectos que a CPI deve mirar sua ação, aliada à voz da sociedade, que não pode mais se calar”, afirma Davidson Magalhães.

FAMILIARES DE NADSON FALAM EM AUDIÊNCIA NA CÂMARA DE ITABUNA

Jairo Araújo, Davi Pedreira e Nailton Almeida (foto Pedro Augusto)

Jairo Araújo, Davi Pedreira e Nailton Almeida (foto Pedro Augusto)

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereadores de Itabuna se reuniu nesta segunda-feira (13) para ouvir familiares do adolescente Nadson Almeida, morto durante perseguição policial em fevereiro de 2014, no bairro Lomanto. Os pais, a irmã e amigos do jovem compareceram à audiência, onde apresentaram seu relato sobre o caso.

O mecânico Nailton Almeida, pai da vítima, disse que até hoje não compreende a ação policial que resultou na morte de seu filho. Os policiais militares que perseguiram Nadson alegaram ter confundido o adolescente com um possível bandido. Na fuga, o jovem de 14 anos, que pilotava uma moto, passou por quatro ruas e acabou sendo atropelado pela viatura quando passava pela Rua Jorge Amado. Segundo o advogado Davi Pedreira, que assiste a família, pelo menos dez pessoas testemunharam o fato e sustentam que o atropelamento foi proposital. Imagens de vídeo também são usadas como prova pela acusação.

Para Pedreira, os policiais são treinados e deveriam ter observado que perseguiam um menino. O advogado afirma também que, no momento em que foi atropelado, Nadson se encontrava em uma rua parcialmente fechada por um muro, com uma única saída na qual havia outra viatura pronta para interceptá-lo. “Era um domingo, 10 horas da manhã e havia um muro na frente”, relatou, procurando demonstrar que havia boas condições de visibilidade para os policiais o adolescente não tinha mais condições de prosseguir na fuga pouco antes de ser atingido pela viatura.

A morte de Nadson revoltou moradores do bairro Jorge Amado, que se uniram à família em um clamor para que a justiça se pronuncie com brevidade sobre o caso. As investigações apontaram que o soldado Wallace Feitosa foi o responsável pela morte do adolescente. Seis promotores de justiça assinaram a denúncia contra o policial, acusado de ter cometido homicídio doloso.

Presidente da Comissão de Direitos Humanos, o vereador Jairo Araújo (PCdoB) disse que não há intenção de fazer um prejulgamento, mas enfatizou que “a busca de justiça deve ter amparo na Câmara de Vereadores”. Segundo Pedreira, a ação no judiciário está na fase das alegações finais e a expectativa é de que o policial Feitosa seja levado a júri popular. O advogado sugeriu que a CDH encaminhe ofício ao judiciário, informando sobre a realização da audiência pública e pedindo celeridade no julgamento. :: LEIA MAIS »

UMA SEMANA DE PAZ

pomba-branca

Se Itabuna ainda não conseguiu realizar o sonho de se tornar uma “cidade de paz”, pelo menos é possível afirmar que a população local viveu uma semana de paz, coisa rara nos últimos tempos.

De acordo com o repórter Oziel Aragão, especialista na cobertura policial, desde segunda-feira, 23, não se registra um homicídio em Itabuna, algo que chega a dar medo de divulgar, por mera superstição de que os matadores possam ser alertados e voltem à alta produtividade.

Vale ressaltar que o declínio da matança tem a ver com o resultado de investigações policiais, que tiraram de circulação elementos ligados ao tráfico de drogas, responsável pela maior parte dos crimes de morte na cidade.

Para não deixar de mencionar um fato negativo, ocorre por aqui o mesmo fenômeno registrado em outros lugares. Quando cai o número de homicídios, aumentam os casos de furtos e roubos.

Há que se dizer: dos males, o menor.

PREFEITO BUSCA SOLUÇÃO PARA FALTA DE SEGURANÇA

Prefeito pede socorro contra o avanço da criminalidade - Foto Pedro Augusto

Prefeito pede socorro contra o avanço da criminalidade – Foto Pedro Augusto

O avanço da criminalidade em Itabuna tem levado o prefeito Claudevane Leite (PRB) a se mobilizar em busca de soluções.

Na semana passada, ele se reuniu com a secretária nacional se Segurança Pública, Regina Miki, em Brasília. Agora pela manhã, em Salvador, o prefeito conversa com o secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa.

Claudevane Leite cobra providências como o reforço do aparato policial em Itabuna, além da volta do sistema de videomonitoramento, inclusive com a ampliação do mesmo para novas áreas.

Em outro flanco, o governo adotou medidas como a recuperação da casa de custódia de menores infratores. De grande utilizada seria, também, a construção de um centro de ressocialização desses jovens, para que possam cumprir na própria cidade as condenações as medidas socioeducativas.

Seria o mínimo para uma cidade onde grande parte dos crimes tem o envolvimento de menores e o índice de homicídios de jovens de 12 a 18 anos é o maior entre municípios com mais de 200 mil habitantes.

BLOGUEIRO SOFRE AMEAÇA E PENSA EM LARGAR ATIVIDADE

Saul

Saul teme represálias em função de denúncias contra o governo de Maraú

O blogueiro Saul Lima, do blog Maraú Notícias, denunciou ter sofrido ameaça de uma assessora da Secretaria de Educação de Maraú, no último dia 10.

Lima, que é vice-presidente do Conselho de Alimentação Escolar do Município, acompanhava o presidente do Conselho em uma visita à Escola Altanira Mauro Ribeiro, onde haveria irregularidades na implantação da merenda escolar descentralizada.

A função de membro do conselho, acrescida do fato de ser um crítico contumaz da administração da prefeita Gracinha Viana (PP) em seu blog, fez com que Lima tenha sido atacado verbalmente pela assessora Hozana Soledade Ramos Santos. Os ataques também foram dirigidos ao presidente do conselho, Manoel Conceição.

O fato se agravou quando entrou em cena o marido da assessora, identificado como Jocélio. Ele teria feito ameaças de quebrar o telefone celular e “a cara” do blogueiro. Sentindo-se intimidado, Saul Lima admitiu a possibilidade de abandonar as postagens contra o governo de Maraú.

– O ato bárbaro praticado pelo casal me faz pensar seriamente sobre a continuidade dos trabalhos jornalísticos deste site, tendo em vista a minha segurança pessoal e da minha família num ambiente de animosidade provocado por aqueles que encaram o contraditório e a opinião divergente como um crime hediondo – declarou Lima.

VANE BUSCA APOIO PARA MELHORAR SEGURANÇA

Preocupado com a violência em Itabuna, prefeito foi pedir ajuda em Brasília

Preocupado com a violência em Itabuna, prefeito foi pedir ajuda em Brasília

No mesmo dia em que um jovem de 18 anos foi morto em pleno centro de Itabuna, em uma tentativa de assalto, o prefeito Claudevane Leite (PRB) reuniu-se em Brasília com a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, com o objetivo de pedir ajuda para reduzir os índices de violência na cidade. Vane estava acompanhado pelo deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB), que agendou a audiência.

O prefeito relatou, na conversa com a secretária, algumas medidas adotadas após reunião com autoridades da área de segurança, judiciário, Ministério Público e sociedade civil de Itabuna, no último dia 26. Uma das providências foi a reforma da casa de custódia para menores infratores, que estava interditada em razão das condições deterioradas e insalubres de suas instalações. Segundo informações, a recuperação já foi concluída, mas a casa ainda não pode receber menores, pois aguarda inspeção do juiz da Vara da Infância e da Adolescência e do representante do Ministério Público.

Na próxima segunda-feira, 16, Vane se reúne em Salvador com o secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, a quem pedirá investimentos para melhorar as condições operacionais das polícias civil e militar, e a retomada do sistema de videomonitoramento de ruas da cidade.

O prefeito também pretende bater à porta da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, para cobrar a construção de uma cadeia pública, que já tem terreno definido e convênio assinado com o Ministério da Justiça desde  2013.

 

DEPUTADO REIVINDICA DELEGACIA DO MENOR INFRATOR

augusto_castro2A implantação da Delegacia do Adolescente Infrator em Itabuna foi proposta pelo deputado Augusto Castro, líder do bloco PSDB/PRB/PSBna Assembleia. Em indicação ao governador Rui Costa, o tucano lembra que Itabuna apresentou o pior índice de homicídios na adolescência, entre cidades com mais de 200 mil habitantes, conforme dados da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR).

Em reunião realizada com representantes do judiciário, polícia e da rede de proteção aos direitos da criança e do adolescente de Itabuna, o deputado ouviu relatos sobre a grande incidência de crimes praticados e relacionados a jovens. De acordo com autoridades do judiciário, Itabuna é a comarca que mais encaminha adolescentes infratores para cumprir medida socioeducativa em Salvador.

Apesar dessa situação, a cidade não tem delegacia especializada do menor infrator e a casa de custódia foi interditada em agosto do ano passado pelo juiz Marcos Bandeira devido às más condições de funcionamento. A Prefeitura firmou parcerias para reformar a unidade.​

ATÉ A FICC PARTICIPA DA REFORMA DE CASA DE CUSTÓDIA

Começou neste sábado (28) a reforma física da custódia para o adolescente infrator no complexo policial de Itabuna. Equipes da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa) e até da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) executam o serviço, que inclui reboco, pintura interna e externa, reparo e troca de instalações elétricas, substituição de canos, desentupimentos dos vasos sanitários e solda dos portões.

Novos colchões serão doados pelo Rotary Club de Itabuna. A segunda etapa será a reforma do plantão da polícia civil, com revisão elétrica, hidráulica, telhado, portas e janelas e pintura interna e externa, prevista para ser iniciada na quarta-feira (4).

As ações fazem parte de um conjunto de propostas discutidas e aprovadas na última semana, em reunião convocada pelo prefeito Claudevane Leite com autoridades da segurança pública, do judiciário, Ministério Público, Câmara de Vereadores e representantes de entidades civis, com o objetivo de enfrentar e reduzir os índices de violência na cidade.

De acordo com Sulivan Sales, diretor de Logística da FICC, a meta é entregar a casa de custódia recuperada ainda nesta semana. O diretor indica que uma equipe de oito pessoas trabalha durante todo o final de semana.  A casa de custódia foi fechada no ano passado, por determinação do juiz titular da Vara da Infância e da Adolescência de Itabuna, Marcos Bandeira, devido às condições insalubres. Segundo o magistrado, na época não havia cama nem colchão, e os adolescentes dormiam no chão de cimento.

Sorry. No data so far.




dezembro 2017
D S T Q Q S S
« nov    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia